segunda-feira, 11 de Junho de 2012

E se eu gostasse de cerveja?

Eu não gosto de cerveja.
Nem de vinho, nem de qualquer outra bebida alcoólica. Sempre tive pena que assim fosse, certa do muito que perco nas infinitas possibilidades de conjugações harmoniosas entre bebida e prato numa refeição.
E a cerveja... ela que chama por amigos juntos ao petisco, que fala de Verão e fins de tarde sem horas depois de um dia de praia. Nada! Por mais que experimentasse e tentasse, não havia forma de gostar.

Photobucket 

Até que...
Até que recebi um convite para ir conhecer as cervejas Estrella Damm, que agora chegam a Portugal e foram apresentadas num almoço degustação criado para elas pelo chefe Avillez, no seu Cantinho do Avillez.

À certeza de boa comida e boa companhia, juntei a infalível máxima “nunca digas nunca”.

Photobucket 
Foi um acontecimento! Eu a beber cerveja, eis algo impensável.
Mas foi real. ☺

Um almoço cheio de surpresas - uma lição e tanto.
Tudo começou com August Damm. Natural da Alsácia, instalou-se em Barcelona onde fundou em 1876 a sua cervejeira. De geração em geração, desenvolveram novos métodos que nos trazem hoje um copo cheio de tradição e inovação. São cervejas que respiram a energia criativa desta cidade, onde a cozinha de vanguarda conquista fama e glórias.

A refeição foi aberta com a Free Damm, a acompanhar um salmão fumado com molho de mostarda e endro.
É uma cerveja leve, fresca e baixa em calorias. O seu processo de fabrico destaca-se das restantes cervejas sem álcool pelo facto da levedura adicionada produzir álcool da maneira natural, com a fermentação a ser levada até ao fim. Só então ocorre uma destilação em vácuo para se eliminar o álcool, preservando assim muito do sabor da cerveja tradicional.
Eu gostei. ☺

Veio depois a Estrella Damm, com o torricado de tomate com copita de porco alentejana.
Servida num copo ligeiramente fechado, com uma altura de creme que enche o olho, é incrível que seja feita ainda com levedura original, preservada há 130 anos.

E eis que surge na mesa a minha favorita!
A cerveja que finalmente me fez gostar de cerveja: a Estrella Damm Inedit, servida com o atum de conserva caseira.
Esta cerveja foi criada em conjunto com o chef Ferran Adriá e a sua equipa de escanções do El Bulli, na procura de uma cerveja que acompanhasse a melhor gastronomia contemporânea. Servida em copos de vinho branco, diferencia-se pela tonalidade âmbar da mistura de trigo e cevada e pelos aromas ricos de frutas e especiarias. Com apenas 4,8% de teor alcoólico e o perfume a laranja, a sua subtileza e frescura trazem-na aqui como a minha eleita! ☺

Chegou depois a vez da Voll Damm.
Uma lager com o dobro do malte, bem mais densa e intensa, cujo amargo será certamente a gosto de quem está habituado a estas coisas. Not me. ☺
Eu fiquei deslumbrada foi com a vitela de comer à colher com caril de legumes e maçã verde. O grande prato do dia!

Finalizámos com a Bock Damm. E um bolo de chocolate com gelado de morango.
Depois de tantas cervejas, o efeito da dupla bolo de chocolate e cerveja preta à sobremesa só podia mesmo ter sido este: esqueci-me da foto! Mas acreditem, fechámos a refeição em grande, com esta lager e um bolo surpreendentemente apimentado.

Que me fizeram acreditar mais uma vez que há sempre tempo para gostar do que é bom.
Alturas houve em que na minha cozinha a cerveja sempre foi parar ao tacho.
Novos tempos virão... ☺

 Photobucket

Frango com molho de cenoura e cerveja

6 perninhas de frango
Sal e pimenta preta moída na hora
Couve lombarda q.b., em pedaços
Brócolos q.b., separados em floretes
Batatas q.b., cortadas em pedaços pequenos
1 cebola
2 dentes de alho
1 tomate grande, maduro
1 cenoura grande, cortada em pedaços
25 g de azeite
200 g de cerveja
200 g de água

 _________________________________________  

thermomix_bimby

Tempere o frango com sal e pimenta.
Disponha a batata e a couve na Varoma, sobreponha o frango e na prateleira coloque os brócolos. Reserve.
Coloque no copo a cebola, o alho e a cenoura e pique 5 seg/vel 5.
Junte o azeite e refogue 5 min/100ºC/vel 1.
Adicione a cerveja, a água, sal e pimenta, coloque a Varoma e programe 30 min/Varoma/vel 1.
Quando o tempo terminar, retire a Varoma, coloque o copo medida e triture 20 seg/vel 7.
Acerte os temperos e sirva o frango com os legumes e o molho.


Photobucket  

tradicional

Tempere o frango com sal e pimenta.
Cozinhe os legumes a vapor e coza as batatas.
Coza as perninhas de frango também a vapor ou, se preferir, saltei-as numa frigideira com um fio de azeite até que fiquem cozinhadas.
Enquanto isso, refogue a cebola e o alho picados em azeite, até que a cebola quebre.
Junte a cenoura ralada e cozinhe mais uns minutos.
Adicione a cerveja, deixe levantar fervura e depois acrescente a água, sal e pimenta. Cozinhe em lume brando até que molho apure.
Acerte os temperos e sirva o frango com os legumes e o molho.


Photobucket

19 comentários:

  1. Amiga, olha que eu também sou assim, não gosto nem nunca gostei de cerveja nem nada que seja alcoólico com excepção de um ou outro licor.
    E sinceramente, não sei se haverá algo que me faça mudar de ideias... já em relação a esse franguinho a conversa é outra...eh eh! Ficou fantástico!
    Beijinhos doces.

    ResponderEliminar
  2. Que engraçado! Também não gosto de cerveja. Por um lado tenho pena que assim seja. Cerveja, amigos e esplanadas em dia de praia combinam tão bem, mas um suminho para mim se faz favor :)
    Mas foi quando fui a Praga que tudo mudou, a cerveja preta artesanal que lá bebi adorei e nunca vou esquecer. Muito boa.
    Prefiro em pães e cozinhados :) Como este belo franguinho.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  3. Susana para quem não gosta de cerveja, provaste essas todas? :):) Não contaste a parte final :):) estavas a ver bem? :)
    Eu também não sou apreciadora de cerveja mas bebo de vez enquando, quando como os caracois deliciosos aí no sul :)
    Este frango esta com um aspecto delicioso, para testar! :)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Pois, se bem me lembro fomos as únicas duas que não "matamos o bicho". Eu também não bebo álcool, porque não gosto e porque se beber um golinho tenho que me deitar logo a seguir :) No entanto, há sempre cerveja cá em casa, sempre para cozinhar porque deixa a carne com uma maciez e sabor fantásticos!

    ResponderEliminar
  5. também não gosto muito mas parece que dessa vez você se rendeu!!!

    http://deliciasdaisa.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  6. Que bela receita, que bonitas fotografias :) Também pensava que nunca ia gostar de cerveja, mas a verdade é que no contexto certo (e a cerveja certa) a cerveja até que sabe bastante bem ;)

    ResponderEliminar
  7. Eu sou assim tal e qual. Tenho muita pena mas não consigo gostar de nenhuma bebida com alcool. Quem sabe um dia... :)

    ResponderEliminar
  8. Eu gosto muito de uma cervejinha fresca a acompanhar um belo petisco. Como esse frango por exemplo, ia ficar muito bem acompanhado de uma cervejola
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Susana
    Pela descrição até sei que a minha preferida seria a Voll , mas fiquei a cismar com a Bock....
    Costumava fazer a receita do frango , mas no tacho há muitos anos. Vou experimentar na bimby.
    Beijo

    ResponderEliminar
  10. Susana,

    Olha que duas! Partilhamos as mesmas dúvidas e as mesmas descobertas em relação à cerveja. Entre a conversa, a comida e descoberta de uma cerveja de que gostamos, fica uma almoço cheio de gargalhadas. Confesso-me (quase) fã da Inedit e da Bock. ;))

    Uma beijoca e bom fim de semana*

    ResponderEliminar
  11. Bem, entre tão poucas apreciadoras de cerveja eu até me sinto mal, mas a verdade é que gosto bastante desta bebida. Não consumo com frequência, mais quando o tempo está quente, quando é das boas e está bem fresca e acompanhada pelas pessoas e conversas certas :))) Sem a provar, já estou rendida à Estrella Damm Inedit, pela tua descrição (aromas ricos de frutas e especiarias!?!) deve ser um néctar dos Deuses, como se costuma dizer :)

    ResponderEliminar
  12. Eu só bebo com uma gasosa misturada, caso contrário não consigo.

    ResponderEliminar
  13. Nao sou grande fa de cerveja, mas de vinho sim... A experiencia parece-me ter sido extraordinaria e esta receitinha de frango deve ser uma delicia.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Apesar de não ser especialista, gosto de cerveja,
    e fiquei curiosa em provar estas!
    Numa ida recente a Lx fui ao Cantinho do Avillez e adorei o bolo de chocolate, será que era o mesmo que serviram nessa degustação?
    Esta versão de frango com cerveja parece muito saborosa :)
    Beijinhos
    Teresa

    ResponderEliminar
  15. Apesar de não ser especialista, gosto de cerveja,
    e fiquei curiosa em provar estas!
    Numa ida recente a Lx fui ao Cantinho do Avillez e adorei o bolo de chocolate, será que era o mesmo que serviram nessa degustação?
    Esta versão de frango com cerveja parece muito saborosa :)
    Beijinhos
    Teresa

    ResponderEliminar
  16. Também não gosto de cerveja...

    Desde já quero convida-la a visitar o meu blog:

    http://receitaseaquimica.blogspot.pt/

    Com este blog, ambiciono ir muito mais além que divulgar receitas deliciosas. Vou explorar toda a vertente científica por detrás das mesmas e falar um pouco de química no dia-a-dia; porque afinal de contas…“A cozinha é um laboratório”.


    Muito obrigado
    Susana

    ResponderEliminar
  17. Awesome dish!! I almost forgot, it's been like 2 months since my last drink of beer.

    ResponderEliminar
  18. Bom dia Susana,

    Tenho o livro e vim espreitar o blog! Obrigada pela partilha!
    Ontem sai do escritorio a voar ruma a casa...fiz a compota de courgette e o chilli vegetariano! TUDO DELICIOSO! Estive até às 23h na cozinha... como eu adoro!

    Eu felizmente, gosto de cerveja e sobretudo de bons vinhos e tenho a sorte poder aproveitar as fantasticas combinações de alimentos e vinho...

    Quanto à cerveja...recomendo que prove LEFFE.... há um universo inteiro de cervejas por experimentar, a cerveja Belga é quanto a mim a melhor cerveja do mundo não desfazendo da nossa Superbock...que é realmente muito boa...Mas consigo perceber o que fala da cerveja...e julgo na minho modesta opinião que a cerveja belga ( a Leffe entre elas) terá algumas cervejas que poderá apreciar...são cervejas para "mastigar" como diz o meu pai...e ele tem razão...mais doces, amis encorpadas, mais artesanais.


    Obrigada por contribuir para a minha alegria!
    um grande bjinhos

    PS: AMO o aspecto grafico do livro...LINDO!
    Marta Botelho

    ResponderEliminar
  19. Bom dia Marta :)

    Fico tão feliz! Saber que os sabores do Velocidade Colher são cozinhados por quem lhe pega deixam-me sempre de coração cheio.
    Obrigada pelo comentário tão simpático! E pela sugestão da LEFFE, hei-de experimentar. :)

    Bjs e bons cozinhados,
    Susana

    ResponderEliminar